Governo cambojano evita atentado terrorista

As autoridades do Camboja anunciaram nesta quinta-feira a detenção de seis pessoas que supostamente planejavam cometer um atentado terrorista durante o Festival da Água, que reunirá mais de 1 milhão de cambojanos na capital a partir de sábado, 04. O porta-voz do Ministério do Interior, Khieu Sopheak, disse que as detenções aconteceram na terça-feira, perto das fronteiras com Tailândia e Vietnã. Os detidos foram formalmente acusados de terrorismo por um tribunal de Phnom Penh nesta quinta-feira. Porém, o porta-voz reconheceu que os "cérebros" do suposto atentado não foram capturados. Sopheak, que não revelou quais seriam os motivos do ataque nem como eles seriam cometidos, disse que os acusados têm antecedentes por crimes comuns. Cinco deles são membros do Kampuchea Krom, um grupo formado pela minoria étnica Khmer que vive ao sul do Vietnã. A Polícia especula com a possibilidade de que os detidos pretendiam sabotar o Festival da Água, presidido pelo rei Norodom Sihamoni, em protesto contra o controle vietnamita da área do Delta do Mekong. A área de atuação do Kampuchea Krom foi cedida pela França ao Vietnã em 1954. Mas o regime do Khmer Vermelho, que na década de 1970 realizou vários ataques numa tentativa de reintegrar a área à parte cambojana do Delta, não reconheceu a transferência. O Vietnã invadiu em 1979 o Camboja, causando a queda do Khmer Vermelho e a instalação de um novo Governo. O Kampuchea Krom mantém desde então um programa independentista e denuncia violações dos direitos humanos da minoria Khmer em território vietnamita.

Agencia Estado,

02 Novembro 2006 | 03h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.