Governo chinês destitui líder do Partido Comunista em Urumqi

Afastamento é o primeiro desde explosão de nova onda de violência em Xinjiang, que já deixou 5 mortos

Efe,

05 de setembro de 2009 | 08h31

O chefe do Partido Comunista da China (PCCh) em Urumqi, Li Zhi, foi destituído neste sábado, 5, de seu cargo diante dos distúrbios registrados esta semana na capital regional de Xinjiang, informou a agência oficial Xinhua. Este é o primeiro afastamento ordenado pelo regime chinês desde a explosão da nova onda de violência em Xinjiang, que, por enquanto, já causou a morte de cinco pessoas e que em julho passado foi cenário de violentos distúrbios que deixaram pelo menos 197 mortos.

 

Veja também:

lista Entenda: Xinjiang, área de maioria muçulmana que incomoda Pequim

 

Li, que ostentava o cargo de secretário do Comitê Municipal do PCCh em Urumqi foi substituído por Zhu Hailun, secretário do Comitê de Assuntos Políticos e Legislativos da província, segundo o partido que governa a China há 60 anos.

 

Também foram comunicados afastamentos a membros do Escritório de Segurança Pública de Urumi, mas não foram oferecidos mais detalhes.

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaUrumqi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.