REUTERS/Jason Lee
REUTERS/Jason Lee

Governo chinês destrói ateliê do artista e ativista Ai Weiwei

O famoso artista, que participou da construção do Estádio Olímpico de Pequim em 2008, é reconhecido pela sua oposição aberta ao regime comunista

O Estado de S.Paulo

05 Agosto 2018 | 06h55

PEQUIM - O famoso artista e ativista chinês Ai Weiwei denunciou em redes sociais que seu estúdio em Pequim, que possui desde o ano de 2006, começou a ser demolido na sexta-feira por escavadeiras do governo sem que ele tenha recebido nenhuma notificação prévia.

Em vários vídeos que o artista publicou este fim de semana na sua conta do Instagram e outras redes sociais se observa a evolução da demolição, e como as máquinas derrubaram três fachadas do prédio situado em Pequim, em cujo interior se acumulam agora os escombros.

Trata-se do segundo estúdio do reputado dissidente (de 61 anos e estabelecido agora em Berlim) que as autoridades chinesas derrubam depois que em 2011 destruíram o que o artista tinha em Xangai.

Seu estúdio, denominado "Zuoyou", era descrito por ele mesmo como uma "fábrica socialista do estilo da Alemanha Oriental", pois tradicionalmente abrigava uma planta de substituições de automóveis, e nele desenvolvia instalações artísticas de grande tamanho e impacto visual que foram exibidas nas galerias e museus de arte contemporânea mais importantes do mundo, como a Tate de Londres.

O famoso artista, que participou da construção do Estádio Olímpico de Pequim em 2008, é reconhecido pela sua oposição aberta ao regime comunista, expressada principalmente por meio da internet. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.