Governo colombiano acusa Farc de envenenar água de município

Autoridades municipais de Pitalito,cidade do departamento (província) de Huila, informaram hoje terem detectado substâncias tóxicas num aqueduto local. Oengenheiro Raúl Poveda afirmou que a alteração química e físicada água é "profunda", acrescentando que se tratou de uma açãode envenenamento intencional.Funcionários do governo acusaram a guerrilha Forças ArmadasRevolucionárias da Colômbia (Farc) pela sabotagem, destacandoque se trata de uma ação terrorista de retaliação à ruptura dasnegociações de paz, na quarta-feira, e a retomada da área que osrebeldes ocupavam.Vários outros municípios de Huila e Caquetá, no sul daColômbia, amanheceram hoje em meio a ameaçadores telefonemas,sem origem identificada, alertando sobre o envenenamento deaquedutos, informaram fontes militares. A população foi posta emestado de alerta e a orientada a informar sobre qualquer ato desabotagem contra a infra-estrutura hídrica, energética e viáriado setor.Enquanto os exames estão sendo realizados, a população dePitalito (cerca de 7 mil habitantes) está sendo submetida a umracionamento de água potável. Há três semanas, as Farcdestruíram uma das válvulas de uma represa que abastece oaqueduto de Bogotá com uma poderosa carga de explosivos. "Vamosesvaziar toda a instalação de Pitalito antes de voltar aabastecer a rede do município, pois, segundo os técnicos, otóxico penetrou pelas tubulações", informou Poveda.Visita - O presidente colombiano, Andrés Pastrana, realizaria hoje umavisita à cidade de San Vicente del Caguán, maior cidade da áreaque tinha sido cedida às Farc. Praticamente sem resistência,cerca de 300 soldados retomaram o controle de uma base militarlocal, o Batalhão Caçadores.Pastrana, que viajaria acompanhado por militares de altoescalão, previa hastear a bandeira colombiana em San Vicente,que durante mais de três anos foi o centro de operações maisimportante das Farc, a principal guerrilha esquerdista do país.Pastrana rompeu na quarta-feira as conversações de paz,iniciadas em 1999, depois de acusar os guerrilheiros de usar azona desmilitarizada de 42 mil quilômetros para construir pistas para aviões, laboratórios de processamento de cocaína e ocultar centenas deseqüestrados.Depois de uma jornada de bombardeios e operações dedesembarque de helicópteros realizadas desde a quinta-feira, ossoldados entraram na madrugada de hoje em San Vicente, semencontrar resistência rebelde, e destruíram uma bandeira dasFarc hasteada na praça central, sob olhares assustados dapopulação. Os moradores da área rural próxima a San Vicentedenunciaram a morte de três pessoas - dois adultos e uma criança- nos intensos bombardeios que destruíram acampamentos rebeldese depósitos de armas.Os guerrilheiros, após o anúncio de Pastrana, começaram arecuar para a selva. No entanto, em um comunicado, anunciaramque estão dispostos a retomar as conversações de paz com umpróximo governo. O país realiza eleições presidenciais em 26 demaio. Os militares também recuperaram o controle de La Macarena,Uribe, Vista Hermosa e Mesetas, no departamento sulista de Meta,asseguraram fontes do Exército.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.