Governo colombiano oferece negociações à guerrilha do ELN

O governo do presidente Alvaro Uribe ofereceu a abertura de negociações de paz ao Exército de Libertação Nacional (ELN) depois da libertação de dois turistas que haviam sido seqüestrados pelo grupo guerrilheiro. "Se o ELN quiser, nós iniciaremos com eles um processo de negociações que, entre outras coisas, permitirá que seus membros retornem à vida civil", disse o comissário de paz, Luis Carlos Restrepo, durante entrevista à CMI Televisión.Restrepo ofereceu também concentrar os guerrilheiros em zonas especiais "enquanto se avança o processo, enquanto ganham confiança e, quando houver confiança necessária, ocorrerá a desmobilização". O comissário explicou que, durante o eventual processo de paz, o governo entregaria salvo-condutos aos chefes da guerrilha e deixaria em liberdade provisória um de seus líderes, Francisco Galán, que se encontra detido na prisão de Itaguaí, condenado por delitos políticos e comuns.O ELN é a segunda guerrilha do país, ficando atrás das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), e conta com cerca de 4.000 combatentes. Suas ações se caracterizam principalmente por espetaculares seqüestros em massa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.