Governo contra pubs, na guerra do cigarro na Irlanda

A proibição de fumar em lugares público, em especial em seus tradicionais pubs, tornou, repentinamente a Irlanda um exemplo para o mundo e foi anunciada como uma grande idéia para atrair mais turistas ? saudáveis não fumantes, é claro. Por algum tempo, funcionou. Mas, agora, o projeto começa a fazer água: cada vez mais proprietários de pubs rebelam-se contra a decisão.A rebelião, entretanto, está enfrentando uma forte repressão do governo. Hoje, por exemplo, alguns proprietário tiveram de admitir a derrota e voltar atrás na decisão de permitir o fumo em suas dependências.Quatro pubs, no Condado de Cork, sudoeste da Irlanda, decidiram, esta semana, liberar o cigarro em apoio ao primeiro a fazê-lo publicamente, o Fibber Magees, na cidade de Galway, no oeste do país.Mas o proprietário do Fibber Magees, Ronan Lawless, recuou, ontem, e os quatro de Cork - Paddy the Farmers, Connie Doolan´s, The Loft and Ozzie´s Bar ? seguiram-no, hoje, diante da ameaça de pesadas multas, de sentenças do Tribunal Superior e a eventual perda de suas licenças.?Nós tínhamos o apoio tanto de fumantes como de não fumantes. E, por 24 horas, ao menos, conseguimos ter de volta a atmosfera que havíamos perdido?, disse Gareth Kendellan, dono do Paddy the Farmers, um dos maiores pubs da cidade de Cork.Seu pub permitiu o fumo ontem - e foi quase que imediatamente atacado por funcionários não uniformizados da saúde ambiental.Quase o mesmo aconteceu a Danny Brogan, proprietário do Connie Doolan´s nas cercanias do porto de Cobh, que havia, na surdina, acabado com a proibição desde a sua introdução, em 29 de março. Brogan tornou pública sua atitude depois de visitar o Fibber Magees, esta semana, e quase imediatamente foi também visitado por agentes da saúde.Tanto Brogan quanto Kendellan disseram-se desapontados com os outros proprietários de pubs, que não se juntaram ao protesto. Na opinião de Brogan, se centenas de pubs se rebelassem, o governo poderia ter sido forçado a recuar e permitir áreas de fumantes nos pubs.A rebelião dos pubs dividiu a Irlanda como a própria proibição do fumo ? a primeira a ser estabelecida por um país em todo o mundo. Uma pesquisa por telefone da emissora estatal RTE, esta semana, atraiu 22.000 pessoas, 54% das quais se opuseram à rebeldia.Os proprietários de pubs insistem em que a proibição está prejudicando seus negócios e ameaçando a viabilidade de muitos bares, particularmente nas áreas rurais.A Federação dos Taberneiros, que representa mais de 700 pubs em Dublin, a capital, publicou, hoje, uma pesquisa que argumentam que seus lucros caíram 16% desde o estabelecimento da proibição e 2.000 funcionários foram demitidos. Outro sindicato da categoria imediatamente veio a público dizer que os números foram exagerados.

Agencia Estado,

09 de julho de 2004 | 15h23

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.