Governo coreano agirá, se eleição grega ameaçar mercado

O Ministério de Estratégia e Finanças da Coreia do Sul informou neste domingo que o governo vai monitorar de perto os mercados financeiros internos e tomar ações se o resultado da eleição na Grécia agitar os mercados locais.

RENAN CARREIRA, Agência Estado

17 de junho de 2012 | 13h03

"Estamos em estado de alerta. Ficaremos em estreitas consultas para qualquer ação rápida no caso de os mercados se tornarem voláteis como resultado da eleição grega", informou o ministério em um comunicado. A pasta disse ainda que vai convocar uma reunião de emergência para amanhã a fim de analisar o resultado da eleição na Grécia e discutir medidas de estabilização do mercado.

Além disso, o governo sul-coreano vai cortar sua previsão de crescimento econômico para este ano, de 3,7% para 3,4%, por causa do aprofundamento da crise econômica global, reportou o jornal Korea Economic Dialy, citando fontes do governo. É bastante aguardada a decisão do governo de reduzir sua projeção de crescimento após medidas similares do banco central e de organizações internacionais, com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

Na semana passada, o FMI informou que espera que o Produto Interno Bruto (PIB) da Coreia do Sul cresça 3,25% este ano, abaixo da estimativa anterior, de 3,5%, em razão da piora da situação da crise da dívida na Europa. O Banco da Coreia também rebaixou sua projeção, de 3,7% para 3,5%. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
CoréiaGréciamedidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.