Governo cubano liberta dois dissidentes em Santiago

Uma das líderes do grupo cubano de oposição Damas de Branco informou nesta segunda-feira que o governo libertou dois dissidentes do chamado "Grupo dos 75" na cidade oriental de Santiago de Cuba. Os dois, Angel Moya e José Daniel Ferrer, ficaram três dias detidos em Santiago.

AE, Agência Estado

12 Setembro 2011 | 15h23

"Eles foram libertados no começo da manhã desta segunda-feira", disse Berta Soler, esposa de Angel Moya. Os dois fazem parte do grupos dos 75 dissidentes presos em 2003 e libertados nos últimos meses no contexto de um acordo feito entre a Igreja Católica e o governo cubano em julho de 2010. Moya foi condenado a 20 anos de prisão e Ferrer a 25. Os dois foram os primeiros do grupo dos 75 a serem presos novamente após terem sido libertados há alguns meses.

Tanto Moya quanto Ferrer fazem parte de 12 dissidentes libertados que não quiseram deixar Cuba. A maioria dos outros dissidentes se exilou na Espanha. Elizardo Sánchez, responsável pela comissão dos direitos humanos de Cuba, disse que os dois foram detidos junto a outras pessoas que na quinta-feira da semana passada ao participarem de uma cerimônia religiosa em honra à padroeira de Cuba, a virgem da caridade.

As autoridades cubanas afirmam que os dois são mercenários a soldo dos Estados Unidos e de grupos interessados em conspirar contra o regime.

As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
CubadissidentesDamas de branco

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.