Governo da Argélia reprime passeata de estudantes

Milhares de estudantes saíram em protesto hoje pelas ruas de Argel, capital da Argélia, pedindo a renúncia do ministro da Educação, apesar de uma medida que proíbe protestos na cidade. A manifestação dos estudantes foi interrompida pela polícia antes de chegar à sede do governo. Mourad Younsi, um estudante de arquitetura, disse que muitos manifestantes foram feridos durante a marcha.

AE, Agência Estado

12 de abril de 2011 | 14h41

A Argélia tem enfrentado alguns protestos esporádicos nos últimos meses e em fevereiro o presidente Abdelaziz Bouteflika, que está no poder desde 1999, anunciou que a lei de emergência seria retirada, embora manifestações continuem proibidas na capital. Os protestos argelinos ocorrem em uma escala menor que a enfrentada por outros países árabes e do norte da África. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Argéliaprotestosestudantesrepressão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.