Governo da Argentina terá de explicar bloqueio a jornais

Sindicalistas impediram a circulação do Clarín e do Olé e atrasaram a distribuição do La Nación

Marina Guimarães, da Agência Estado

28 de março de 2011 | 19h07

Capas dos jornais argentinos nesta segunda-feira.

 

BUENOS AIRES - As Comissões de Justiça e de Assuntos Constitucionais da Câmara dos Deputados da Argentina decidiram nesta segunda-feira, 28, convocar a ministra de Segurança, Nilda Garré, para dar explicações sobre o descumprimento de ordem judicial que garante a distribuição dos jornais no país. Segundo os deputados da União Cívica Radical (UCR) Ricardo Alfonsín e Ricardo Gil Lavedra a ministra deverá ir às comissões às 10 horas de quarta-feira.

 

No Senado, a Comissão de Liberdade e Expressão vai se reunir na terça para convocar o secretário de Mídia do governo, Juan Manuel Abal Medina, para audiência na quinta-feira. "Queremos que ele informe quais providências vai tomar para evitar novos bloqueios como o de domingo", disse a senadora Maria Eugenia Estenssoro. No domingo, piquetes de sindicalistas impediram a circulação dos jornais Clarín e Olé e atrasaram a distribuição do La Nación.

 

O advogado Ricardo Monner Sans, famoso pelas causas que defende contra o governo, apresentou denúncia acusando a ministra Garré por suposto delito de "violação de deveres de funcionário público" e "desobediência" de uma ordem judicial para garantir a circulação do Clarín. "Cercearam meus direitos constitucionais, fundamentalmente o direito à informação, inerente ao conceito republicano e ao princípio de liberdade", argumentou Sans em sua petição.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.