Governo da Austrália pede que 'Kadafi saia do caminho'

A Austrália pediu nesta segunda-feira que o líder líbio, Muamar Kadafi, "saia do caminho" para a ação dos rebeldes, e afirmou que as forças insurgentes estão à beira de uma vitória. "Tudo está mudando muito rapidamente, mas está claro que os rebeldes estão prestes a trazer a segurança de volta ao país", disse a premiê australiana, Julia Gillard.

Agência Estado

22 de agosto de 2011 | 02h23

"Obviamente, a tarefa ainda não está concluída, mas a partir do que vimos pela TV, tudo indica que os rebeldes vencerão as forças de Kadafi", acrescentou a primeira-ministra. "Continuamos insistindo para que o coronel Kadafi saia do caminho, e, claro, somos partidários de que o ditador enfrente as acusações internacionais que existem contra ele." A premiê refere-se às acusações de crime de guerra e crimes contra a humanidade cometidos pelas forças do governo de Kadafi.

Julia disse que a Austrália continuará apoiando o povo líbio, no esforço para que se estabeleça a paz e a democracia no país. Aliás, a Austrália já havia reconhecido o Conselho Nacional de Transição em julho. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AustráliaquerKadafiforapoder

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.