Benoit Tessier / Reuters
Benoit Tessier / Reuters

Governo da França decide aumentar salário de policiais após greve

Agentes reclamam das longas jornadas de trabalho, principalmente em razão dos protestos dos ‘coletes amarelos’ e da falta de investimento em equipamentos

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de dezembro de 2018 | 11h09

PARIS - O governo francês vai aumentar o salário dos policiais, após uma greve dos agentes convocada na esteira do movimento dos "coletes amarelos", cujos protestos aumentaram consideravelmente o trabalho policial.

O acordo foi anunciado pouco antes da meia-noite desta quinta-feira, 20, pelos sindicatos, após dois dias de negociações e um dia de greve em que as delegacias ficaram praticamente paralisadas e os agentes só responderam a casos de emergência.

Os policiais reclamam das longas jornadas de trabalho e da falta de investimento em equipamentos. Em novembro, uma agente responsável por uma associação de policiais foi encontrada morta em sua casa, num caso de aparente suicídio.

Nas últimas semanas, o mal estar na corporação aumentou com os violentos protestos dos "coletes amarelos" em Paris e em outras cidades do país, bem como pela busca e captura do homem que cometeu um ataque em um mercado natalino em Estrasburgo.

"Este acordo abre o caminho para melhorar as condições de trabalho e aumentar os salários dos agentes", afirmou o ministro do Interior, Christophe Castaner, em um comunicado.

De acordo com líderes sindicais, a partir do próximo ano o salário médio aumentará progressivamente em cerca de € 120 por mês e até € 150 para altos funcionários. O governo também começará a negociar para pagar horas extras atrasadas, totalizando cerca de € 275 milhões. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.