Governo da Grécia amplia vantagem sobre a oposição

A popularidade do partido conservador grego Nova Democracia, que lidera a coalizão do governo com outros dois partidos, ultrapassou a da oposição radical de esquerda na Grécia, segundo apontaram três diferentes pesquisas de opinião. Muitos gregos parecem estar confiantes de que a posição do país na zona do euro não está mais em perigo.

EQUIPE AE, Agência Estado

27 de janeiro de 2013 | 17h13

O Nova Democracia havia visto sua popularidade cair após as eleições nacionais em junho, que levaram à formação da coalizão do governo, mas se recuperou após a liberação da aguardada ajuda financeira internacional em dezembro. No início deste mês, a pesquisa do Public Issue realizada a pedido do canal de televisão Skai mostrou que, pela primeira vez após as eleições, o partido Nova Democracia obteve uma leve vantagem de 0,5 ponto porcentual sobre o partido Syriza, de oposição.

Mas três outras pesquisas, conduzidas entre 22 e 24 de janeiro, mostram agora que os conservadores ampliaram a liderança sobre a esquerda. A primeira delas, feita pela MRB para o jornal Real News, mostrou que, se as eleições fossem hoje, 29,2% votariam para o Nova Democracia, ante 27,8%, que votariam no Syriza. O partido de extrema-direita Golden Dawn continua sendo o terceiro mais popular do país, com 11,6% de apoio, enquanto o Pasok, membro da coalizão do governo, tem 7%. Outro partido da coalizão, o Esquerda Democrática, tem 5,6% de apoio.

A pesquisa também mostrou que 60% dos gregos acreditam que o país não vai falir. Mais de 75% acreditam que a Grécia permanecerá na zona do euro, mas 83% antecipam mais medidas de austeridade.

Outras duas pesquisas divulgadas neste domingo confirmam a tendência. Uma delas mostra que 26,8% votariam para o Nova Democracia, ante 24,8%, que votariam no Syriza. Na terceira pesquisa, os números são 24,9% e 23,4%, respectivamente. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GréciapesquisaNova Democracia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.