Orestis Panagioyou/EFE
Orestis Panagioyou/EFE

Governo da Grécia antecipa eleição presidencial para 17 de dezembro

Pesquisas divergem sobre quem deve assumir o posto; mandato do presidente Karolos Papulias termina em março de 2015

Estadão Conteúdo

08 de dezembro de 2014 | 17h33

A coalizão de governo da Grécia anunciou a antecipação da eleição presidencial que estava prevista para fevereiro, com o primeiro turno marcado para 17 de dezembro. A porta-voz do governo, Sofia Voultepsi, disse que "a incerteza política precisa terminar agora".

O presidente da Grécia é eleito pelo Parlamento do país; um candidato precisa obter pelo menos 180 votos de um total de 300. A coalizão governista não tem esse número e, caso não consiga o apoio de partidos menores e de deputados independentes, ela vai se ver obrigada a convocar eleições parlamentares antecipadas. O mandato do presidente atual, Karolos Papulias, termina em março.

A antecipação da eleição presidencial foi anunciada um dia depois de o jornal Eleftheros Typos publicar uma pesquisa segundo a qual 28,6% dos eleitores gregos disseram que votariam no partido de esquerda Syriza, enquanto 25,5% votariam no partido Nova Democracia, o maior da atual coalizão governista. Outra pesquisa, feita pelo instituto Metro Analysis para o jornal Parapolitika, aponta liderança do Syriza com 24,3% das preferências, enquanto o Nova Democracia teria apenas 19,8%.

O crescimento da popularidade do Syriza resultou de sua oposição às medidas de austeridade e reformas econômicas exigidas pela troica formada por Comissão Europeia, Banco Central Europeu (BCE) e FMI em troca de ajuda financeira para a Grécia.

Também hoje, em Bruxelas, os ministros das Finanças dos países da zona do euro decidiram prorrogar por dois meses o programa de ajuda financeira à Grécia, para que Atenas e os credores internacionais do país tenham tempo para superar suas divergências em torno do orçamento do governo grego. Desde 2010, a Grécia já recebeu cerca de ? 240 bilhões (US$ 295 bilhões) em ajuda da troica. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Gréciaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.