Damian Dovarganes/Arquivo/AP
Damian Dovarganes/Arquivo/AP

Governo da Guatemala se desculpa por declarações sobre 'Chapo'

Autoridades disseram que o líder narcotraficante mais procurado do México tinha sido morto

Efe,

22 de fevereiro de 2013 | 15h59

SAN VALETIN - O ministro do Interior da Guatemala, Mauricio López Bonilla, se desculpou na quinta-feira pelas declarações sobre a morte de dois supostos narcotraficantes em um enfrentamento com a polícia. Bonilla havia dito que um deles se parecia com o líder narcotraficante mais procurado do México, Joaquín "El Chapo" Guzmán Loera, do Cartel de Sinaloa.

Segundo o governo guatemalteco, a situação foi um "mal entendido". Em uma entrevista para a rádio Emisoras Unidas, o ministro disse que a declaração foi dada a partir de depoimentos de moradores da região, mas que após patrulhamento das forças de segurança, não foi possível confirmar se houve o enfrentamento com a polícia.

 O porta-voz do governo, Francisco Cuevas, disse que dois grupos de narcotraficantes haviam se enfrentado em Petén, região que registra um aumento da violência relacionada ao tráfico de drogas, e que pelo menos dois homens morreram na troca de tiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.