Governo da Libéria aceita trégua com rebeldes

O presidente liberiano, Charles Taylor, concordou em interromper os ataques aos rebeldes que tentam controlar a capital Monróvia, segundo mediadores da África Ocidental. Os rebeldes do grupo Liberianos Unidos pela Reconciliação e Democracia (Lurd) também estariam dispostos a iniciar a trégua, que pode abrir caminho para novas negociações.O ministro das Relações Exteriores de Gana, Nana Akufo-Addo, disse que um cessar-fogo oficial poderá ser assinado até o fim da semana, segundo informações da agência de notícias AFP. Os moradores de Monróvia temem a repetição de assassinatos brutais ocorridos nos anos 90. Segundo a agência de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteiras, cerca de 1 milhão de pessoas precisam de ajuda na capital.A organização afirma que os funcionários da saúde foram forçados a deixar o último hospital civil da cidade na terça-feira. "Há corpos espalhados na rua principal, e dá para sentir o cheiro da morte em muitos lugares", disse o chefe da agência, Alain Kassa. As negociações de paz foram suspensas em Gana na sexta-feira, quando as forças do Lurd chegaram aos arredores da capital.As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.