AFP PHOTO / INTI OCON
AFP PHOTO / INTI OCON

Governo da Nicarágua violou direitos humanos, diz CIDH

Investigadores afirmam que forças do governo Ortega utilizaram força excessiva contra manifestantes; 76 pessoas morreram e quase 900 ficaram feridas

O Estado de S.Paulo

21 Maio 2018 | 17h10

MANÁGUA - Investigadores da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) afirmaram, nesta segunda-feira, 21, que o governo da Nicarágua violou direitos humanos com o uso excessivo de força contra manifestantes, durante atos que tomaram as ruas do país recentemente.

Ao menos 76 pessoas foram mortas e quase 900 ficaram feridas durante os protestos, que duraram cerca de um mês, e foram violentamente reprimidos pela polícia e outros grupos governamentais por ordem do presidente Daniel Ortega.

+ Nicarágua concorda em parar atos de violência e anuncia trégua de 2 dias

O relator sobre liberdade de expressão da comissão, Edison Lana, disse que o governo confirmou o número de mortos nesta segunda-feira. Os investigadores da CIDH chegaram à Nicarágua na quinta-feira e viajaram por várias partes do país. Eles pediram ao governo de Ortega a garantia de que armas letais não serão utilizadas contra manifestantes.

+ Estudantes na Nicarágua chamam Ortega de 'assassino' e pedem sua renúncia

Os protestos começaram em meados de abril contra mudanças no sistema de seguridade social no país. Dentro de poucos dias, Ortega reverteu as mudanças, mas os atos aumentaram, e passaram a pedir também sua renúncia. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.