Governo da Tailândia denuncia plano de golpe de Estado

O governo da Tailândia denunciou nesta terça-feira que"alguns militares" planejam um golpe de Estado para depor oprimeiro-ministro, Thaksin Shinawatra, que está fora do país eNa quarta-feira chegará a Cuba para participar da Cúpula de PaísesNão-alinhados. O porta-voz do Governo, Surapong Suebwonglee, disse em entrevistacoletiva que "não se trata de um boato, é certo que um grupo demilitares pretende promover um golpe de Estado" enquanto oprimeiro-ministro estiver fora do país. O porta-voz governamental denunciou o complô um dia depois deShinawatra cancelar seu retorno a Bangcoc, depois de participar daVI Cúpula Asem (UE-Ásia), em Helsinque. Ele foi a Londres para umavisita particular antes da viagem a Havana. A imprensa local sugere que setores militares estariam preparandoum golpe de Estado desde 24 de agosto, quando foi descoberto umcarro carregado de explosivos perto da casa do primeiro-ministro. "Um golpe de Estado seria um movimento defasado na atualTailândia. Ele empurraria nosso desenvolvimento democrático paratrás e o povo não estaria de acordo", acrescentou o porta-voz doGoverno. Pelo menos cinco militares do Serviço de Inteligência, inclusiveum general, foram detidos e acusados formalmente de conspirar paraassassinar Shinawatra por sua suposta relação com o tenente doExército capturado quando dirigia o carro com os explosivos. No entanto, 49% dos moradores da capital não estão convencidos deque tenha existido uma conspiração para matar Shinawatra. Elessuspeitam de que o incidente seja parte de uma trama para gerarsimpatia pelo governo antes das próximas eleições gerais, segundouma recente pesquisa de opinião de uma Universidade de Bangcoc. Os partidos da oposição acusam o goveno de propagardeliberadamente os boatos sobre um golpe militar com o propósito deganhar apoio popular. O último golpe de Estado na Tailândia aconteceu em 1991.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.