Governo da Venezuela confisca equipamento de rede de TV

A Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel) da Venezuela confiscou vários equipamentos para a transmissão ao vivo da emissora privada de televisão Globovisión. O confisco ocorre em meio a uma campanha realizada pela oposição em favor do referendo sobre o mandato do presidente Hugo Chávez. O presidente da emissora, Alberto Federico Ravell, denunciou que a ação realizada pelo organismo estatal é um fato "extremamente grave", pois representa "o primeiro passo para o fechamento de um canal de notícias". "Nos deixaram com as mãos amarradas...é um ataque frontal, definitivo contra os meios de comunicação", afirmou. Segundo Ravell, o confisco dos equipamentos para transmissão ao vivo impede a emissora de cobrir fatos que ocorram fora de sua sede.O ministro de Comunicações, Jesse Chacón, negou que o governo pretenda fechar a Globovión, e justificou o confisco afirmando que a emissora não cumpriu uma série de determinações. De acordo com Chacón, a Globovión cometeu um "erro" ao utilizar "ilegalmente a freqüência de transmissão". Segundo o ministro, os equipamentos serão devolvidos só após o cumprimento das determinações da Conatel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.