Governo das Filipinas anuncia que n.º de mortos por tufão passa de 5.200

Ministro do Interior afirmou que cifra pode aumentar porque mais de mil pessoas continuam desaparecidas

O Estado de S. Paulo,

22 de novembro de 2013 | 11h49

MANILA - O governo das Filipinas anunciou nesta sexta-feira, 22, um novo balanço da passagem do tufão Haiyan e elevou o número de mortos para mais de 5.200. Outras 1.611 pessoas continuam desaparecidas, informou o porta-voz do Conselho Nacional para a Redução de Risco e Gestão de Catástrofes Naturais, Reynaldo Balido.

Segundo o ministro do Interior das Filipinas, Mar Roxas, 4.919 dos mortos pertencem à região de Bisayas Oriental, a mais afetada pela passagem do tufão. Roxas afirmou que as localidades com mais vítimas são Tacloban, Tanauan e Paló, todas na província de Leyte.

O ministro diz ser muito provável que esse número aumente, tendo em vista que as equipes de resgate seguem em busca de corpos. Em boletim desta sexta-feira, o Conselho Nacional informou que mais de 10 milhões de pessoas foram afetadas pelo tufão e 4 milhões foram forçadas a se deslocar.

Mais de 1 milhão de casas foram danificadas, sendo que 536 mil ficaram completamente destruídas. Danos em agricultura e infraestruturas foram avaliados em US$ 287 milhões.

Com ventos de até 315 km/h, o Haiyan foi o tufão mais forte registrado na atual temporada e o terceiro pior desastre em número de mortos na história recente das Filipinas./ AP e EFE

 
Mais conteúdo sobre:
Filipinastufão Haiyan

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.