Kazuhiro Ibuki/Reuters
Kazuhiro Ibuki/Reuters

Governo de Ancara quer ação da ONU se Assad não cumprir trégua

Premiê turco disse esperar que o Conselho de Segurança tome medidas para proteger os civis

AE, Agência Estado

10 de abril de 2012 | 19h40

ANCARA - O primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, disse nesta terça-feira, 10, esperar que o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) tome medidas para proteger os civis se o governo sírio não cumprir o prazo final da quinta-feira para um cessar-fogo total com a oposição síria.

 

A chancelaria turca disse, também na terça, em comunicado ao Conselho de Segurança da ONU, que a entidade "adote uma resolução que inclua todas as medidas necessárias para a proteção do povo sírio", se o governo de Damasco não suspender a violência em 48 horas, de acordo com a AFP.

 

A Turquia não elaborou quais medidas o CS deveria tomar. Mas Erdogan disse que os disparos feitos na segunda-feira por soldados sírios contra um campo de refugiados, em território turco, foram uma "violação muito clara da nossa fronteira". Pelo menos seis pessoas ficaram feridas pelos disparos dos soldados sírios no campo de refugiados, quatro civis sírios, um intérprete e um guarda turcos, na província de Gaziantep.

 

Cerca de 24 mil sírios fugiram para a Turquia desde que começou a revolta contra Bashar Assad na Síria em março de 2011. A maioria vive em campos de refugiados nas províncias turcas de Hatay e Gaziantep.

As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.