Khin Maung Win/AP
Khin Maung Win/AP

Governo de Mianmar encerra censura da mídia local

Com as novas regras, jornalistas não mais serão obrigados a remeter trabalho para os censores

AE, Agência Estado

20 de agosto de 2012 | 08h53

YANGON, MIANMAR - O governo de Mianmar anunciou nesta segunda-feira, 20, que abolirá a censura na imprensa do país. Com as novas regras, os jornalistas não mais serão obrigados a remeter seu trabalho para os censores do Estado antes da publicação, como aconteceu durante quase meio século. Este é o maior passo em direção à liberdade de expressão em décadas.

Veja também:

linkHillary Clinton elogia Mianmar, mas sem citar nome do país

linkEUA reduzem sanções contra Mianmar

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

Mesmo assim, ainda restam preocupações com as leis que restringem a publicação de livros, que dão ao governo poder para reprimir jornalistas e fechar publicações que sejam consideradas ameaças para a segurança do país. Nyein Nyein Naing, editora do jornal Seven Day News, afirmou que agora os jornalistas terão que submeter seus textos para os censores após a publicação, diferentes do que ocorria antes. Ela afirmou ainda que "nós temos que ser bastante cautelosos, pois o conselho de censores vai continuar nos monitorando."

As leis de censura foram instituídas após o golpe militar de 1962. O governo reformista do presidente Thein Sein vêm relaxando o controle sob a mídia desde o ano passado, permitindo a circulação de material proibido anteriormente, como fotos da líder de oposição Aung San Suu Kyi.

As informações são da Associated Press.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Mianmarcensuraimprensa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.