Governo de tecnocratas pode ser solução para impasse palestino, diz Abbas

O presidente da Autoridade Palestina (AP), Mahmoud Abbas, disse nesta terça-feira ter sérias intenções de formar um governo de tecnocratas caso as negociações com o grupo islâmico Hamas sobre uma ampla coalizão aceitável pelo o Ocidente venham a falhar.Em entrevista na cidade de Ramallah, na Cisjordânia, Abbas disse que tomará sua decisão "muito em breve".O líder palestino sublinhou que tem enfrentado grandes dificuldades para alcançar um acordo com o Hamas - que atualmente controla o governo da AP - para a formação de uma administração de união entre o seu partido, o Fatah, e o grupo militante Islâmico. Segundo Abbas, as repetidas tentativas de mediação entre os dois grupos, inclusive a mais recente liderada pelo Catar, falharam.O presidente palestino acrescentou que a criação de um governo independente formado por tecnocratas seria a solução mais fácil caso esses esforços não levem a lugar nenhum.Embora tenha dito que a idéia está sendo "levada a sério", ele destacou que não pressionará o Hamas. "Eu prefiro isso como uma solução, pois resolve o problema, mas teremos que ter um acordo sobre o tempo de duração desse governo", disse ele.O Hamas foi frio ao receber a idéia. Segundo o porta-voz do grupo, Fawzi Barhoum, um amplo governo de coalizão nacional é a melhor opção. "Se um governo de coalizão nacional não vai de encontro com as demandas do nosso povo, eu não acho que um governo de tecnocratas pode bancar essa responsabilidade", disse Barhoum.Desde que assumiu o governo palestino, após conseguir a maioria dos assentos do parlamento nas eleições de janeiro, o Hamas vem sofrendo um amplo boicote da comunidade internacional, que cortou as ajudas financeiras para a ANP. Estados Unidos, União Européia e Israel consideram o grupo uma organização terrorista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.