Governo descarta uso de Exército nas ruas de Londres

Ministra do Interior descarta também uso de canhões d'água no combate aos distúrbios

BBC Brasil, BBC

09 de agosto de 2011 | 08h57

A ministra do Interior da Grã-Bretanha, Theresa May, descartou nesta terça-feira a opção de usar o Exército para tentar conter os tumultos que assolam áreas de Londres há três dias.

 

 

Veja também:

Cameron: 'Vocês sentirão a força da lei'

blog RADAR GLOBAL: Conte-os sua história

som ÁUDIO: Não existe registro de brasileiros feridos

som ÁUDIO: Brasileiro relata tensão em Londres

video VÍDEO: Revoltas se espalham por Londres

mais imagens GALERIA: Veja imagens da violência em Londres 

 

Em entrevista à Radio 4, da BBC, May disse ainda que consultaria a polícia para saber que tipo de ajuda a corporação precisa para enfrentar a crise.

May voltou a condenar os ataques, chamando-os de "totalmente inaceitáveis", e afirmou que os responsáveis enfrentarão as consequências de seus atos.

"Sejamos absolutamente claros. Não há desculpa para a violência, não há desculpa para os saques, não há desculpa para o comportamento agressivo. A polícia vai lidar com as situações que surgirem como achar melhor."

Pelo menos 215 pessoas foram presas e outras 27 foram indiciadas no terceiro dia de violência na cidade, de acordo com a ministra.

Canhões de água

Os ataques continuaram na madrugada desta terça-feira, em várias áreas da capital britânica e em outras cidades da Inglaterra.

Centenas de jovens saquearam lojas e incendiaram carros e edifícios.

Durante a madrugada, usuários do site Twitter publicaram mensagens pedindo que policiais usassem canhões de água na repressão aos tumultos.

O Ministério do Interior, no entanto, insistiu que não há planos de aprovar o uso de canhões d'água.

"O uso de canhões d'água não é aprovado dentro do nosso território pelo Ministério do Interior", disse um porta-voz. "Não acreditamos que eles sejam necessários."

Um porta-voz da Scotland Yard disse que canhões d'água não estão disponíveis na Inglaterra, e teriam que ser trazidos da Irlanda do Norte.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.