Governo diz que terroristas ainda podem estar nos EUA

Pessoas associadas aos seqüestradores que lançaram boeings contra o World Trade Center e o Pentágono ainda podem estar à solta nos Estados Unidos, afirmou nesta segunda-feira o secretário da Justiça, John Ashcroft, pedindo ao Congresso que dê ainda esta semana às agências de segurança poderes ampliados para grampear telefones (incluindo celulares), conduzir buscas e congelar contas bancárias.Um dos objetivos das medidas pedidas é traçar movimentações suspeitas de dinheiro."Sócios dos seqüestradores que têm laços com organizações terroristas podem continuar presentes nos EUA", disse Ashcroft em entrevista coletiva. "Precisamos de ferramentas para combater a ameaça terrorista que existe nos EUA, precisamos enfrentar essa crescente ameaça."O secretário disse que a investigação dos atentados da semana passada está se "movendo vigorosamente", com o FBI (polícia federal americana) investigando mais de 47 mil pistas recebidas pela Internet e outras 7.700 pelo telefone. Informou ainda que será aumentado o número de agentes federais nos vôos domésticos.Ao longo das investigações já foram detidas 49 pessoas para interrogatório e presas 4 "testemunhas-chave" dos ataques. Há mais 170 pessoas sendo procuradas.O FBI lançou uma campanha de recrutamento de cidadãos americanos que saibam falar árabe para ajudar nas investigações.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.