Governo do Burundi assina acordo de paz com rebeldes

O governo do Burundi e o maior grupo rebelde do país assinaram hoje na Tanzânia um amplo acordo de paz que poderá encerrar os dez anos de guerra na pequena nação da África Central. O presidente do Burundi, Domitien Ndayiseye, disse a 200 líderes regionais, funcionários e diplomatas que testemunharam a assinatura do acordo que "essa paz durará enquanto estivermos comprometidos com o processo". O líder dos rebeldes, Peter Nkurunziza, disse que pediu a todos os combatentes do FDD que respeitem os termos do pacto. O acordo inclui a divisão de poderes entre a maioria hutu e a minoria tutsi nas forças de segurança, assim como no governo eno Parlamento.No entanto, o otimismo foi abalado pelo fato de o segundomaior grupo rebelde do país, as Forças de Libertação Nacional,ter rejeitado participar das conversações de paz e decididoprosseguir com os combates. A guerra no Burundi começou em outubro de 1993, após paramilitares tutsis assassinarem o primeiro presidentedemocraticamente eleito do país, um hutu. Desde então, mais de200 mil pessoas, a maioria civis, foram mortas nos combates.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.