Governo do Egito pede eleições parlamentares

O governo do Egito pediu nesta quarta-feira ao Parlamento que priorize as legislações para organizar eleições parlamentares, regulamentar a mídia e combater corrupção. A câmara alta realizou hoje sua primeira sessão com os novos poderes temporários garantidos pela Constituição.

AE, Agência Estado

26 de dezembro de 2012 | 12h57

No primeiro dia após o referendo, a câmara alta recebeu 90 novos membros nomeados pelo presidente do país, Mohammed Morsi. Dois terços dos 270 membros são eleitos, e um terço é nomeado pelo presidente.

Na terça-feira foram divulgados os resultados do referendo da proposta de Constituição do Egito, com aprovação de 63,8% do eleitorado, segundo a Comissão Eleitoral. O governo deve realizar eleições para a câmara baixa do Parlamento dentro de 60 dias.

A nova Constituição dividiu opiniões, mas seus apoiadores insistem que ela abrirá caminho para maior estabilidade e fortalecimento das instituições no Egito. Morsi tem tido poderes legislativos desde que dissolveu a câmara baixa do Parlamento. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoConstituiçãoParlamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.