Governo do Equador oferece garantias à oposição

O Ministro do Interior do Equador, Gustavo Larrea, disse nesta quinta-feira, 26, que o governo oferece plenas garantias à oposição e pediu calma para os deputados que fugiram para a Colômbia, segundo informações da France Press.Larrea desmentiu que haja perseguição contra o grupo de opositores que se declarara vítima de um "governo ditador, formado pelo presidente esquerdista Rafael Correa"."Nós não perseguimos os deputados. Eles pensam que serão presos pois dessa forma podem fazer oposição. Não há nenhum preso político e nem uma ordem para detê-los", declarou o ministro.Seis deputados equatorianos cassados, que chegaram à Colômbia na terça-feira, 25, e pediram proteção, declarando-se perseguidos políticos, disseram na quarta-feira que pelo menos mais 20 legisladores entrarão no território colombiano pelo mesmo motivo.Os seis deputados foram à Colômbia depois de serem impedidos de cumprir uma decisão judicial do Tribunal Constitucional (TC) que restituiu seus cargos. Eles haviam sido cassados em 7 de março, pelo Tribunal Supremo Eleitoral (TSE), por se oporem à realização de um plebiscito para a convocação de uma Assembléia Constituinte no país.Convocada por Correa, a consulta foi realizada no último dia 15, e aprovou a Assembléia.Uma promotora equatoriana pediu a detenção de 24 dos 50 deputados beneficiados pela decisão do TC, acusando-os de sedição (revolta). A restituição dos 50 deputados pelo TC de Quito gerou revolta da população e no governo equatorianos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.