Governo do Irã rejeita interrogatório de suas autoridades sobre atentado na Amia

O governo do Irã anunciou ontem que não aceitará que seu ministro da Defesa, Ahmed Vahidi, seja interrogado sobre o atentado que destruiu a Associação Mutual Israelita Argentina (Amia), em Buenos Aires, e deixou 85 mortos, em 1994. "O tema do interrogatório de um funcionário iraniano é totalmente falso", disse o porta-voz da chancelaria de Teerã, Ramin Mehmanparast.

O Estado de S.Paulo

13 de fevereiro de 2013 | 02h00

No dia 7, o governo argentino anunciou um pacto com o Irã para criar uma comissão para investigar a ação. "Assinamos um memorando de entendimento", confirmou o chanceler iraniano, Ali Akbar Salehi (foto). O acordo começará a ser discutido hoje no Senado. / ARIEL PALACIOS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.