Governo do Japão aprova dissolução da câmara baixa

Manobra irá possibilitar convocação de eleições gerais para 30 de agosto; premiê enfrenta fissuras no partido

Efe,

20 de julho de 2009 | 22h00

O governo Taro Aso aprovou nesta segunda-feira, 20, dissolução da câmara baixa japonesa, que acontecerá ainda nesta terça e possibilitará a convocação de eleições gerais para o próximo dia 30 de agosto. O documento que permite a dissolução da câmara, prevista para a sessão plenária do início da tarde, foi assinado por todos os membros do gabinete, sem exceção.

 

O gabinete aprovará também nesta terça o plano de Aso de convocar eleições para o próximo dia 30 de agosto e estabelecer o início da campanha eleitoral para 18 do mês que vem. Aso, que enfrenta cada vez mais fissuras dentro de seu partido, enfatizará as conquistas de seu governo durante os últimos dez meses, entre elas a aprovação de medidas de estímulo para tirar o país da recessão econômica.

 

Alguns legisladores contrários a Aso dentro do governamental Partido Liberal-Democrata (PLD) criticaram o primeiro-ministro e pediram que ele fosse substituído antes do novo pleito como líder da legenda, especialmente depois da derrota do PLD nas últimas eleições locais de Tóquio.

 

Aso, de 68 anos, foi eleito por seu partido como chefe de governo em setembro do ano passado, após a renúncia de Yasuo Fukuda. As eleições gerais previstas para 30 de agosto serão as primeiras à câmara baixa desde setembro de 2005, quando foi reeleito o ex-primeiro-ministro Junichiro Koizumi e o governamental PLD ganhou uma maioria de 303 das 480 cadeiras da Casa. Muitos analistas preveem uma derrota do PLD, que está há meio século quase ininterruptamente no poder.

Tudo o que sabemos sobre:
Japão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.