Damir Sagolj / Reuters
Damir Sagolj / Reuters

Governo do Japão e empresa devem pagar US$ 4 milhões em indenizações por Fukushima

Dezenas de moradores foram obrigados a abandonar suas casas depois do acidente nuclear de 2011

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de fevereiro de 2019 | 06h46

TÓQUIO - Um tribunal do Japão determinou nesta quarta-feira, 20, que o governo e a empresa da central de Fukushima devem pagar quase US$ 4 milhões em novas indenizações a dezenas de moradores que foram obrigados a abandonar suas casas depois do acidente nuclear de 2011.

A Corte do distrito de Yokohama ordenou ao governo e à Tokyo Electric Power Company (Tepco) o pagamento de 419,6 milhões de ienes (US$ 3,8 milhões) a 152 moradores. Esta é a quinta vez que o governo é declarado responsável pelo desastre, o acidente nuclear mais grave no mundo desde Chernobyl, em 1986.

O juiz Ken Nakadaira afirmou que o governo e a Tepco "poderiam ter evitado o acidente se tivessem adotado medidas" contra o tsunami que provocou o desastre, informou o canal público NHK.

Em março de 2018, um tribunal de Kyoto, oeste do Japão, determinou a responsabilidade do governo e da Tepco e ordenou o pagamento de 110 milhões de ienes a 110 moradores. Em um caso separado em setembro de 2017 em Chiba, perto de Tóquio, um tribunal decidiu que apenas a empresa era responsável.

Cerca de 12 mil pessoas fugiram após o desastre por medo da radiação e apresentaram várias ações na Justiça contra o governo e a Tepco.

Os casos tentam determinar se o governo e a empresa, ambos responsáveis por medidas de prevenção de desastres, poderiam ter previsto a escala do tsunami e a subsequente fusão. Várias ações coletivas foram apresentadas em busca de compensações pelo acidente provocado por um terremoto de 9,1 graus na escala Richter e o posterior tsunami. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.