Governo do Kuwait renuncia após choque com Parlamento

O governo kuwaitiano renunciou neste domingo, 4, após um longo confronto com o Parlamento do rico emirado petroleiro do Golfo Pérsico devido à atuação do ministro da Saúde, o xeque Ahmad al Abdula Al-Sabah, membro da família real.A renúncia do gabinete aconteceu um dia antes da reunião que o Legislativo tinha previsto realizar na segunda, para um voto de censura contra o xeque Ahmad Al-Sabah, que dez deputados tinham pedido após denunciar "anarquia e corrupção" no Ministério da Saúde.Fontes parlamentares previam a renúncia do gabinete antes da reunião da segunda-feira da Câmara, e o presidente desta, Jassim al-Kharafi, afirmou que "os ministros não iam assistir a essa sessão"."Informaram-me que o governo apresentou sua renúncia. Esta renúncia significa a anulação de forma automática da reunião de segunda-feira", disse Kharafi, citado pela agência nacional de notícias, Kuna.Kharafi não descartou que o emir do Kuwait, xeque Sabah al-Ahmad Al-Sabah, peça ao chefe do Governo que renunciou, xeque Nasser al-Mohamad Al-Sabah, que forme o novo Executivo.O ministro da Saúde tinha rejeitado apresentar sua renúncia após o confronto das últimas semanas entre o governo e o Parlamento, cujos membros responsabilizam o xeque Ahmad Al-Sabah pela "deteriorada situação" dos hospitais públicos e de ter aumentado a corrupção.Esse pedido foi o último de uma série de exigências de renúncia de vários ministros que, nos últimos anos, levou quatro a abandonar suas pastas.O emir do Kuwait, que tem a última palavra sobre a política do país, dissolveu o Parlamento no ano passado após um enfrentamento similar sobre as reformas no emirado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.