AFP / JIM WATSON
AFP / JIM WATSON

Governo do México acredita que Trump mudará discurso ao longo da campanha

Fonte de alto escalão, que pediu anonimato, afirmou que se magnata for o escolhido do Partido Republicano para disputar as eleições, suas declarações sobre mexicanos devem sofrer ajustes

O Estado de S. Paulo

02 de março de 2016 | 10h32

CIDADE DO MÉXICO - O governo do México afirmou na terça-feira que o pré-candidato republicano à Casa Branca Donald Trump mudará seu discurso sobre o país ao longo da disputa eleitoral nos EUA, caso confirme a vitória prevista pelas pesquisas e seja o indicado de seu partido no pleito.

"A própria dinâmica da disputa eleitoral vai provocar um ajuste no tipo de discurso", afirmou uma fonte do alto escalão do governo mexicano em um encontro com a imprensa estrangeira, em referência às declarações do empresário americano contra o país vizinho.

A fonte, que pediu anonimato, também disse que os principais preocupados com as ações de Trump são os próprios republicanos. Apesar das críticas, destacou que o México respeita o processo interno de eleições de cada país e que não tem intenção de politizar ou favorecer qualquer candidato na disputa.

"Não é a primeira vez que isso ocorre. E não faz sentido responder Trump com uma grosseria, que só serviria para encher as páginas dos jornais", ressaltou a fonte, que mencionou também a inviabilidade econômica de algumas propostas feitas pelo pré-candidato em relação ao México.

Mesmo com um acordo de livre-comércio em vigor na América do Norte desde 1994, Trump propôs a criação de impostos nas importações de automóveis produzidos no país vizinho. Ele também quer que empresas americanas, como a General Motors e a Ford, sejam proibidas de investir no outro lado da fronteira.

"Dificilmente ele poderá reverter 20 anos de integração produtiva. Geraria um choque da dimensão da crise financeira", avaliou o representante do governo mexicano.

O México organizará uma campanha por meio de seus consulados nos EUA para reverter a imagem negativa divulgada por Trump.

"O governo fará um maior esforço para resistir a essas informações equivocadas sobre a migração de mexicanos para o país vizinho. A relação entre México e EUA requer mais pontes e menos muros, aumentar o comércio e não restringi-lo", afirmou a fonte, em resposta às exigências do magnata para que o México pague pela construção de um muro para impedir a passagem de seus imigrantes.

A fonte ainda explicou que as autoridades mexicanas entrarão em contato com os candidatos que vencerem as primárias, algo que é feito tradicionalmente, e ressaltou que a postura de Trump tem um lado positivo, apesar das críticas. "Se há algo positivo que podemos declarar tirar das declarações é que o México está avançando", concluiu. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.