Governo do Sri Lanka e rebeldes assinam cessar-fogo

O governo do Sri Lanka e o grupo rebelde Tigres de Libertação do Tâmil Eelam (TLTE) assinaram hoje um acordo de cessar-fogo, passo crucial para a realização de conversação de paz que colocariam um fim a 18 anos de guerra civil.O primeiro-ministro cingalês, Ranil Wickremesinghe, entregou o acordo assinado ao embaixador Jon Westborg, da Noruega, país que mediou a trégua, depois de visitar um posto militar na cidade nortista de Vavuniya, o qual os rebeldes ornaram com bandeiras brancas para marcar o cessar-fogo.Residentes tâmeis presentearam o premier com xale e arroz, em sinal de prosperidade. "Acredito piamente que nossa nação viverá em paz, mas não tenho a ilusão de que isso será fácil", disse o primeiro-ministro a soldados depois de se encontrar com Westborg.O governo norueguês, que levou cerca de dois anos para unir os dois lados em torno de uma negociação de paz, também anunciou que um acordo de cessar-fogo, de 10 páginas, fora assinado. Segundo o ministro das Relações Exteriores da Noruega, Jan Petersen, falando de Oslo, o premier cingalês e o líder do TLTE, Vellupillai Prabhakaran, assinaram hoje o acordo. A trégua entrará em efeito a partir de amanhã. Nenhuma data fora fixada para o início das conversações de paz, mas Petersen afirmou que os mediadores esperam que isso ocorra nos próximos meses.Os rebeldes vêm lutando desde 1983 para dividir a nação em duas linhas étnicas, afirmando que a minoria tâmil, formada por 3,2 milhões de pessoas, pode prosperar apenas se for independente da maioria cingalesa. Mais de 64.000 pessoas já morreram desde o início do conflito, há 18 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.