Governo do Sudão e rebeldes chegam a acordo

O governo do Sudão e os rebeldes armados que atuam em seu território chegaram a um acordo sobre temas que vinham impedindo que os dois grupos negociassem a paz, dando um passo importante para o término de uma guerra civil de 21 anos, informaram autoridades locais sob condição de anonimato. Apesar disso, serão necessários alguns meses para se ter certeza de que a solução diplomática será traduzida em paz. Os negociadores pretendem assinar amanhã os três protocolos que solucionam as disputas entre as partes em conflito, disseram fontes em Naivasha, a cidade queniana que sedia as negociações de paz. Apesar desse acordo, as partes ainda precisam acertar os últimos detalhes de um amplo cessar-fogo e da implementação dos temas negociados antes de o conflito poder ser considerado oficialmente encerrado. Mesmo assim, o porta-voz rebelde Samson Kwaje qualificou os acordos como muito significativos. "Isso significa que teremos finalizado todas as questões espinhosas que nos levaram à guerra", disse ele à Associated Press. Não foi possível encontrar imediatamente autoridades ligadas ao governo sudanês. Em Cartum, porém, o Centro de Imprensa do Sudão, estatal, citou "observadores não identificados" para informar que "um acordo final quase certamente será assinado amanhã".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.