Governo do Sudão e rebeldes selam trégua de três meses em Darfur

Cessar-fogo inclui retorno dos deslocados e dos refugiados e participação nas eleições

Efe

18 de março de 2010 | 09h19

DARFUR - O governo do Sudão e várias facções rebeldes de Darfur assinaram nesta quinta-feira, 18, um cessar-fogo de três meses de duração nessa conflituosa região do oeste do Sudão.

 

A trégua, mediada pelo Catar, foi selada entre o Executivo sudanês e oito grupos rebeldes, unidos sob o nome Movimento de Libertação e Justiça. A cerimônia foi transmitida pela rede de TV catariana Al-Jazira.

 

O vice-presidente sudanês, Ali Osman Taha, disse que o governo se compromete a aplicar os pontos do acordo. Ele também convidou todas as facções rebeldes de Darfur a participarem de conversas de paz "sérias e verdadeiras", para que assim seja possível concluir os detalhes dos acordos necessários para pôr fim ao conflito na região.

 

Por sua vez, o primeiro-ministro do Catar, Hamad bin Yazim bin Jaber al-Thani, pediu às partes que apliquem o cessar-fogo recém-assinado.

 

A trégua inclui o retorno dos deslocados e dos refugiados a seus lares em Darfur, além da participação dos habitantes da região nas próximas eleições.

Tudo o que sabemos sobre:
SudãoDarfurtréguacessar-fogoÁfrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.