Governo do Zimbábue pede doações de comida

O governo do Zimbábue pediu que doadores estrangeiros forneçam cerca de um terço da comida necessária à população do país, para evitar uma crise alimentar até que ocorram as colheitas do início de 2004. Em documento enviado ao Programa de Alimentação da ONU e a possíveis doadores, o governo prevê um déficit de comida da ordem de 712.000 toneladas neste ano, principalmente de milho. Com cerca de 120.000 toneladas em ajuda internacional a caminho, cerca de 600.000 toneladas ainda se fazem necessárias. O Zimbábue, que no passado já ajudou a alimentar boa parte do sul do continente africano, enfrenta a pior crise econômica e polícia de sua história. A economia, de base agrícola, foi destruída por chuvas irregulares e pela desapropriação, muitas vezes violenta, das grandes fazendas de propriedade de fazendeiros brancos, para serem entregues a agricultores negros. Grupos de defesa dos direitos humanos e líderes da oposição disseram que muitas das terras confiscadas foram dadas a apoiadores do governo, e boa parte desse solo agora encontra-se sem aproveitamento. Outras fazendas foram divididas em pequenos lotes de subsistência, sem viabilidade econômica.

Agencia Estado,

25 Julho 2003 | 17h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.