Governo dos EUA se desculpa por paródia de Chávez

A embaixada dos EUA em Caracas reconheceu que a paródia humorística em que se satirizou o presidente venezuelano, Hugo Chávez, encenada na residência do embaixador americano, Charles Shapiro, na capital venezuelana, foi de "mau gosto" e lamentou que "alguns tenham se sentido ofendidos". "Um humorista mostrou sua imitação de uma conhecida figura da televisão (uma jornalista oposicionista), e parte da apresentação nos pareceu de mau gosto, por seu conteúdo político. Lamentamos que alguns tenham se sentido ofendidos", disse a embaixada em um comunicado. A sede diplomática se desculpou alegando que "não toma conhecimento antecipado, nem censura, o que os convidados vão dizer, nem no caso de um orador convidado, nem no caso de um humorista". A paródia incluiu a apresentação de uma marionete com boina vermelha e traje militar que imitava Chávez.A polêmica paródia foi apresentada na residência do embaixador Shapiro na terça-feira, em comemoração ao Dia Mundial da Liberdade de Imprensa. À reunião compareceram importantes convidados, entre eles representantes da Unesco e da Associação da Imprensa venezuelana - integrada por opositores ao governo -, além de equipes das televisões privadas locais, que a divulgaram para o público venezuelano. Durante o ato, Shapiro expressou sua "preocupação" com o que considera "ameaças" à liberdade de imprensa na Venezuela - ao que o vice-presidente Rangel respondeu que se, realmente, tal liberdade estivesse ameaçada, Shapiro não teria se expressado tal como fez na terça-feira.

Agencia Estado,

16 de maio de 2003 | 14h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.