Governo dos EUA substitui modelo de guerra ao terror

Nova 'Estratégia Nacional de Contraterrorismo' já começou a ser aplicada no Paquistão e no Iêmen

Denise Chrispim Marin, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2011 | 00h00

O governo de Barack Obama decidiu substituir o modelo de guerra contra o terror imposto em 2001 por seu antecessor, George W. Bush, por um plano de combate baseado em mais ataques aéreos pontuais de aviões não tripulados e menos operações em terra.

Chamada de "foco-laser", a nova Estratégia Nacional de Contraterrorismo já começou a ser aplicada no Paquistão e no Iêmen. Embora reconheça a tutela do Irã e da Síria a grupos terroristas, como o Hamas e o Hezbollah, a ideia é concentrar a ação na Al-Qaeda, nos seus afiliados e no seu esquema de recrutamento de militantes.

"Nossa estratégia não foi desenhada para combater diretamente cada organização terrorista em cada esquina do mundo, muitas das quais não tem nem intenção nem capacidade de atacar os EUA e seus cidadãos", afirmou o conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Brennan, o autor do plano. "O principal foco dessa estratégia é a rede que impõe a ameaça mais direta e significante aos EUA", completou, referindo-se à Al-Qaeda. A estratégia mantém o país em "estado de guerra".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.