Gabriella Demczuk/ The New York Times
Gabriella Demczuk/ The New York Times

Governo e rebeldes assinam acordo de paz no Sudão do Sul

Esta é a terceira tentativa de acabar com as hostilidades no país; outros acordos foram rasgados pouco tempo depois de assinados

O Estado de S. Paulo

02 de fevereiro de 2015 | 14h41

O governo do Sudão do Sul assinou hoje mais um acordo de paz com a facção rebelde com que guerreiam há mais de um ano. Esta é a terceira tentativa de acabar com as hostilidades no país. Os outros acordos foram rasgados pouco tempo depois de assinados.

O presidente Salva Kiir e o líder rebelde Riek Machar, que já foi vice-presidente do país, assinaram acordo depois de quatro dias de intensa negociação. O conflito no Sudão do Sul irrompeu em 2013 entre as tropas de Kiir e forças leais a Machar. Mais de 1,5 milhão de pessoas fugiram de suas casas. Dezenas de milhares estão abrigadas em bases das ações Unidas.

De acordo com Lul Koang, porta-voz dos rebeldes, a manutenção do pacto é responsabilidade dos dois lados. "Se o governo respeitar o acordo, teremos definitivamente uma diminuição da violência", disse. "Mas se eles continuarem com a mesma disposição, a luta vai continuar."

As partes concordaram em se encontrar novamente para concluir um acordo mais completo que dê fim à crise até 5 de março. / AP

 

" SRC="/CMS/ICONS/MM.PNG" STYLE="FLOAT: LEFT; MARGIN: 10PX 10PX 10PX 0PX;
Tudo o que sabemos sobre:
Sudão do Sulacordo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.