Reuters
Reuters

Governo egípcio diz que Morsi está em lugar seguro

Segundo porta-voz, nenhuma acusação foi feita contra o presidente deposto

Agência Estado

10 de julho de 2013 | 11h57

CAIRO - O Ministério de Relações Exteriores do Egito informou que o ex-presidente deposto, Mohamed Morsi, está num local seguro e que é tratado de "maneira muito digna". O porta-voz do Ministério, Badr Abdel-Atti, disse aos jornalistas nesta quarta-feira, 10, que nenhuma acusação foi feita contra Morsi, que foi derrubado no dia 3 de julho.

Ele afirmou, porém, que "para sua própria segurança e pela segurança do país, é melhor mantê-lo...caso contrário, as consequências serão terríveis."

O comunicado foi feito enquanto as autoridades do país intensificam a repressão à Irmandade Muçulmana. Nesta quarta-feira, a promotoria geral do país ordenou a prisão do líder espiritual do grupo, que mantém sua oposição ao novo governo e recusou ofertas para participar da administração interina.

Além dos principais líderes da Irmandade, 200 pessoas foram indiciadas nesta quarta-feira por suposta participação nos confrontos nas proximidades do prédio da Guarda Republicana, que na segunda-feira deixaram 54 mortos, a maioria partidários de Morsi.

Os acusados permanecerão presos por 15 dias, durante investigações sobre assassinato, incitamento à violência, posse de armas ilegais e perturbação da ordem e da segurança pública, informou uma fonte à agência France Presse. No total, 650 pessoas foram detidas por causa dos confrontos, mas 450 delas foram libertadas sob fiança, declarou a fonte./ AP e DOW JONES

Tudo o que sabemos sobre:
golpe no EgitoMohamed Morsi

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.