Governo envia 700 policiais para conter violência entre mineiros bolivianos

O governo boliviano enviou um força adicional de 700 policiais para o povoado de Huanuni, onde grupos de mineiros rivais entraram em confronto na quinta-feira pelo controle da maior mina de estanho da América Latina, lançando bananas de dinamite um contra o outro. Ao menos 11 pessoas morreram nos embates, segundo informações oficiais. Mas, de acordo com um defensor público boliviano que estava na região citado pela agência de notícias EFE, mais 10 pessoas teriam morrido nesta sexta-feira, elevando o número de vítimas fatais para 21.Os embates opõe mineiros bolivianos vinculados à estatal Comibol - que ganhou importância com a política de nacionalização dos recursos naturais levada a cabo pelo presidente Evo Morales - e trabalhadores cooperativados (privados) que buscam o direito de trabalhar nas jazidas. Assim como os sindicatos dos trabalhadores da estatal, boa parte das cooperativas de mineiros também integra a base de apoio do presidente boliviano Evo Morales.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.