Governo envia reforço a Iquique após fuga de 300 detentas

Ministro do Interior, Rodrigo Peñailillo, não tem informações confirmadas sobre saques

02 de abril de 2014 | 00h06

SANTIAGO - O governo chileno enviou um contingente policial e militar para Iquique, epicentro do terremoto de magnitude de 8,2 graus, depois de uma fuga em massa de 300 detentas de um presídio feminino localizado na cidade.

A informação foi dada pelo ministro do Interior, Rodrigo Peñailillo. O ministro disse ainda não ter informações confirmadas sobre os rumores de saques no porto da mesma cidade. Muitos relatos sobre tentativas de saques foram mencionados nas redes sociais.

“Tomamos a medida em caráter de ordem pública, no caso de Iquique, onde tivemos a fuga em massa de 300 internas do presídio dessa cidade. As forças armadas, em coordenação com a polícia e sob a supervisão da superintendência, podem trabalhar de maneira a dar mais tranquilidade e segurança aos habitantes de Iquique”, disse o ministro em um pronunciamento na TV. Ele reiterou que os militares apenas colaborariam com a polícia e não tomariam o controle da situação.

O chefe de gabinete afirmou ainda que as autoridades chilenas decidiram manter vigente o alerta de tsunami no país, prazo que se esgotaria na madrugada de hoje. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.