REUTERS/Sergio Perez
REUTERS/Sergio Perez

Governo espanhol quer acabar com imunidade judicial de parlamentares

Medida precisa ser aprovada pela maioria dos 350 assentos da Câmara baixa do país; governo atual tem apenas 84 cadeiras na casa

O Estado de S.Paulo

17 Setembro 2018 | 09h33

MADRI - O primeiro-ministro da Espanha, Pedro Sánchez, afirmou nesta segunda-feira, 17, que tentará revogar a imunidade de parlamentares e outras autoridades eleitas publicamente para "restaurar a confiança das pessoas" na política. Sánchez, da centro-esquerda espanhola, anunciou seu plano em um evento que marcou os 100 dias de seu mandato, desde junho, quando substituiu Mariano Rajoy, de alinhamento conservador.

Quando assumiu o cargo, o primeiro-ministro prometeu erradicar a corrupção e modernizar o país, mas sua administração tem sido prejudicada por políticas consideradas erráticas. Sua proposta de tornar mais fácil que políticos sejam processados precisa de apoio parlamentar para ser aprovada, mas os socialistas detêm apenas 84 dos 350 assentos na Câmara.

"Esperamos ter o apoio da Câmara", disse Sánchez, pedindo à oposição que ajude na aprovação de reformas econômicas necessárias para a próxima década. "Ofereceríamos uma imagem exemplar, de solidariedade e empatia", acrescentou. / AP

Mais conteúdo sobre:
Pedro SánchezEspanha [Europa]

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.