Governo haitiano lança campanha contra gangues armadas

O governo haitiano e soldados da força de paz das Nações Unidas iniciarão nos próximos dias uma importante campanha para desarmar mais de mil membros de gangues com promessas de dinheiro, alimentos e trabalho. Segundo a ONU, os benefícios não valerão aos líderes dos bandos.Em entrevista exclusiva à Associated Press, o enviado especial da ONU ao Haiti, Edmond Mulet, disse que as autoridades começarão a informar o público sobre a campanha nos próximos dias. A informação será difundida por meio de avisos em emissoras de rádio e televisão.A medida representa um esforço mais amplo para convencer os membros de gangues de rua a abandonar suas armas e regressar à vida social desde que a força de paz da ONU chegou à atribulada nação caribenha há dois anos. Os soldados de paz trabalham no Haiti para restaurar a ordem depois de uma revolta ocorrida em fevereiro de 2004."Estamos prontos para receber mil pessoas armadas, que de maneira voluntária entregarão suas armas (...) temos benefícios para suas famílias, alimentos e ajuda econômica. O pacote de benefícios está pronto e começaremos a oferecê-lo nos próximos dias", afirmou Mulet.No mês passado, o presidente do Haiti, René Preval, advertiu que as gangues de Porto Príncipe enfrentariam a morte caso não abandonassem suas armas. Os bandos, alguns deles leais ao deposto presidente Jean-Bertrand Aristide, são acusadas de uma onda de seqüestros e ataques a tiros que, de acordo com as autoridades, tem como objetivo pressionar Préval para lhes faça certas concessões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.