Governo húngaro pede urgência para pacto fiscal

Parlamento húngaro precisa iniciar esta semana as discussões sobre as negociação do pacto fiscal para evitar outra crise de dívida soberana na zona do euro, afirmou neste domingo o primeiro ministro da Hungria, Viktor Orban.

PATRÍCIA BRAGA, Agência Estado

11 de dezembro de 2011 | 16h40

Orban foi um dos quatro primeiros-ministros que na reunião da semana passada não sinalizou imediatamente a aprovação das negociações, sob o argumento de que um acordo poderia diminuir os poderes nacionais e por isso a necessidade de discussão do Parlamento húngaro.

O país é membro da União Europeia, mas não está atualmente na zona do euro, assim como a Suécia e a República Tcheca, que também decidiram discutir com em seus parlamentos o acordo fiscal. "Enquanto o Parlamento não discutir o assunto, o governo não pode falar uma palavra sobre isso", afirmou Orban. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
criseHungriapacto fiscal

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.