Governo iraniano ameaça renunciar

O governo iraniano ameaçou renunciar se o poderoso Conselho dos Guardiães, dominado pelos radicais do regime clerical islâmico, não voltarem atrás em sua decisão de excluir mais de 2 mil reformistas das eleições parlamentares de 20 de fevereiro.A agência estatal de notícias Irna citou a advertência do vice-presidente Mohamad Sattarifar, na noite de segunda-feira. "Se o governo acredita que não pode cumprir sua responsabilidade de proteger as liberdades legítimas, tais como defender o direito da nação a eleições livres e limpas, então não existe razão alguma para permanecer no poder", disse Sattarifar.Pelo menos dez vice-presidentes e ministros iranianos estão dispostos a renunciar a seus cargos, disseram vários deputados que não quiseram identificar-se. Os parlamentares afirmaram que a lista inclui quatro dos seis vice-presidentes do país e seis ministros.O Conselho dos Guardiães, um mecanismo de supervisão constitucional controlado por setores islâmicos radicais, desqualificou mais de 3 mil dos 8.200 postulantes a uma candidatura nas eleições para renovação das 290 cadeiras do Parlamento. Do total de desqualificados, mais de 2 mil são reformistas, incluindo 80 deputados que buscam a reeleição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.