Governo iraniano pede ajuda humanitária internacional

Além de mobilizar a população interna em prol das vítimas do terremoto que abalou o país esta madrugada (horário local) e dexou cerca de 5 mil mortos, o governo iraniano solicitou ajuda internacional, sobretudo com relação ao envio de grupos de busca e resgate. O apelo parece ter surtido efeito.Marina Ryklina, porta-voz do Ministério para Situações de Emergência da Rússia, confirmou o envio de dois aviões com ajuda humanitária e equipamentos de resgate ao país. Uma equipe suíça com dez membros e cães farejadores partiu hoje rumo ao Irã, disse Jean-Philippe Jutzi, porta-voz da divisão de ajuda humanitária do governo. Ainda, a rede nacional Solidariedade Suíça ofereceu US$ 80 mil em auxílio imediato e abriu uma conta bancária para doações. A Alemanha também planejava enviar ajuda à região, assim como Grécia e Jordânia.O Ministro da Saúde do Irã, Mohammad Ismail Akbari, afirmou que a prioridade é obter desinfetantes, purificadores de água, bombas d´água e geradores de eletricidade. Imagens da TV iraniana mostraram o pouco que sobrou da cidade arrasada: bairros inteiros foram destruídos; na parte velha da cidade, não sobraram prédios em pé; em uma das ruas, restaram apenas um muro e as árvores.No único cemitério da cidade, uma multidão de cerca de mil pessoas se debatia sobre os corpos de 500 vítimas espalhados pelo chão. Os mortos foram enterrados na enorme vala aberta por um bulldozer.De acordo com o Vermelho Crescente, equivalente iraniano da Cruz Vermelha, equipes de resgate foram enviadas a Bam vindas de diversas províncias do país, incluindo Teerã. O Irã possui uma farta história de terremotos que provocaram a morte de milhares de pessoas. Em 1990, um tremor de 7,3 pontos deixou 50 mil mortos no noroeste do país. EM 1978, um outro de magnitude 7,7 matou aproximadamente 25 mil iranianos na região nordeste.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.