Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Governo israelense busca acordo com oposição

O primeiro-ministro eleito de Israel, Ariel Sharon, tentava finalizar nesta quinta-feira detalhes de um governo de união nacional com seu derrotado rival, Ehud Barak, enquanto os israelenses enterravam seus soldados mortosnum ataque palestino. O enterro dos sete soldados e de uma civil israelenses - os oito foram mortos na quarta-feira por um motorista de ônibuspalestino - pesou muito sobre políticos trabalhando para formar uma coalizão entre o Partido Likud, de Sharon, e o PartidoTrabalhista, liderado por Barak e esmagado na eleição da semana passada. Depois de uma reunião programada para a noite de hoje com Sharon, Barak deve decidir se irá tornar-se ministro da Defesa num novo governo. A imprensa israelense divulgou que Barak iria aceitar a oferta de Sharon. Mas o ministro Haim Ramon, antigo aliado de Barak que rompeu com ele antes da eleição, disse que o atual primeiro-ministro não tem o direito de considerar unir-se ao governo de Sharon. "O senso público exige que ele desista" depois de sua esmagadora derrota eleitoral, afirmou Ramon. Sharon, que não pode assumir o poder até forjar uma coalizão majoritária, estava confiante. "Vou formar um governo de união", disse ele a repórteres antes de se reunir com o enviado de paz da União Européia (UE), Miguel Moratinos. Sharon afirmou que tal governo "nos capacitará a alcançar segurança e paz".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.