Governo israelense manda derrubar cerca que divide aldeia libanesa

O governo do primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, mandou derrubar a cerca construída peloExército ao norte da aldeia libanesa de Raghar, que violava a resolução 1.701 do Conselho de Segurança da ONU. A rádio pública israelense informou que a construção havia sido proibida expressamente pelo gabinete para Assuntos do Exterior e Segurança. Portanto, as autoridades militares deveriam derrubar a cerca. A aldeia foi dividida em 2000 pela fronteira ou "linha azul" fixada pela ONU depois da retirada israelense de uma área de segurança no Líbano meridional. No domingo, o Exército israelense retirou suas últimas tropas do país, atendendo à resolução 1.701 da ONU, que encerrou a guerracontra a milícia do Hezbollah. Mas a presença militar permanece nos setores leste e sul de Raghar. Fontes militares disseram a jornalistas que as autoridades militares não têm intenção de anexar o norte da aldeia à parte que ficou em território israelense. Segundo o jornal "Maariv", a união entre as duas metades de Raghar foi promovida pelos moradores do setor que há seis anos seencontra em território israelense, e que a cerca foi levantada por um empreiteiro privado, com financiamento do Ministério da Defesa. Fontes militares disseram que a cerca tinha por objeto facilitar a reorganização das forças ao longo da fronteira com o Líbano, que vai desde o Mediterrâneo até as Colinas do Golã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.